logo

Desconstruindo Amanda Sparks – TupiniQueens

Um ensaio para TupiniQueens

amanda-sparks-fernando-moraes-destaque

Amanda Sparks é uma das personagens do documentário TupiniQueens e uma das figuras mais relevantes da nova cena drag paulistana. Na ocasião do doc, foi protagonista de um ensaio fotográfico cujo conceito é a desconstrução de gênero e a reflexão a respeito da linha tênue que indefine feminino e masculino.

Conversamos com Fernando Moraes, autor das fotos, e com a própria Amanda para entender um pouco mais do ensaio.

As fotos foram cedidas com exclusividade ao Imerso e são conteúdo extra do documentário Tupiniqueens. Clique aqui para saber mais sobre o filme.

amanda-sparks-fernando-moraes-1

Como surgiu a ideia do ensaio?

Fernando Moraes – O João Monteiro me convidou primeiro para montar o filme e, a partir disso, sentimos a necessidade de ter material das drags em outros lugares. Pensamos em fazer um ensaio e a Amanda topou. Sempre que eu via as drags, ficava interessado no processo de montação e nas técnicas, mais do que somente como ficava pronto. Queria de alguma forma trazer isso para o ensaio. Inclusive, não te mandei as fotos ‘glamours’, com ela montada, porque buscamos exatamente a descontrução. Achei interessante imprimir nas fotos o masculino e feminino no mesmo ser.

Dá para ver que que tem muita técnica, a drag precisa se maquiar, cuidar da própria roupa. E não tem só essa história de ser performática no palco, pois há uma bagagem estética muito grande que muita mulher não tem. Sou casado com uma maquiadora e ela ficou impressionada.

Amanda Sparks – A maioria das pessoas pergunta “Nossa, você quem fez a sua maquiagem?”. Claro, né?! rs.

Fernando – Toda a personalidade e conceito da personagem está impressa na maquiagem.

amanda-sparks-fernando-moraes-3

Como foi para você se desmontar diante das câmeras?

Amanda Sparks – Foi estranho, pois não estou acostumada a fazer isso. Quando drag tira foto, fica glamurosa, e essa coisa de descontrução é sair da zona de conforto. Às vezes eu acho legal realmente sair da zona de conforto.

Fernando – É, a desconstrução mostra as imperfeições e no processo você encontra os segredos. Quando voce descobre o segredo é como mágica: passa a não ser tao interessante. Mas para mim, ao mesmo tempo, foi bem interessante. O Tupiniqueens também traz um pouco dessa descontrução.

Amanda Sparks – As pessoas ainda possuem muito preconceito com drag e acha que é um cara que quer virar mulher. Nao é bem assim…

amanda-sparks-fernando-moraes-2

amanda-sparks-fernando-moraes-4

amanda-sparks-fernando-moraes-5

amanda-sparks-fernando-moraes-6

amanda-sparks-fernando-moraes-7

amanda-sparks-fernando-moraes-8

amanda-sparks-fernando-moraes-9

amanda-sparks-fernando-moraes-10

amanda-sparks-fernando-moraes-11

amanda-sparks-fernando-moraes-12

amanda-sparks-fernando-moraes-13

amanda-sparks-fernando-moraes-14

Amanda Sparks também desenvolveu o game ‘The Shade Forest’, disponível para Android e Apple.


gostoudotexto



| Ensaio, Entrevista

  • Pingback: A explosão de TupiniQueens | Imerso()

  • Pingback: A explosão de TupiniQueens | Imerso()

  • Carlos Alves

    O ensaio é incrivelmente admirável, Isaque. Adorei a entrevista – principalmente quando ela fala sobre as pessoas “acharem que drags querem ser mulheres -, pois essa é uma discussão muito importante para a cultura deste universo, numa perspectiva de desmistificar os estereótipos preguiçosos formados a cerca dessa grande arte.

    • Oba! Obrigado por ler, Carlos! E sim… precisamos desmitificar tais preconceitos sempre. 🙂

  • Patricia Marques

    Que lindo <3