logo

RuPaul’s Drag Race – 8X07: Shady Politics

A oitava temporada de RuPaul’s Drag Race está tão equilibrada, que até as rivalidades são inesperadamente quebradas em nome do talento

RuPauls_Drag_Race_8X07_Shady_Politics_2

Diferente do que acontece em realities shows de convivência como o Big Brother, as competições de habilidades tendem a deixar o drama em segundo plano. Em programas assim, saber cantar, costurar ou cozinhar vale como fator determinante para o julgamento técnico, já que o público pouco afeta as decisões mais importantes. Ainda que os participantes eventualmente revelem facetas amorais, nada disso se reflete na posição que eles conquistam no jogo.

Em RuPaul’s Drag Race isso é um pouquinho diferente. Embora essa seja uma competição de habilidades, o elenco é formado por personalidades drag, o que já é essencialmente marcante. Não se pode, de maneira alguma, ignorar o que aquelas meninas têm a oferecer de dramático e humano para o show, que sempre se sustentou em bases ambíguas nesse sentido. Muitas vezes não era uma questão só de talento e muitas outras vezes o talento não segurou as pontas sozinho.

A oitava temporada tem uma coisa diferente de todas as outras: não há nenhuma torcida inflamada pela vitória de ninguém. No ano passado também não havia, mas por uma razão menos nobre (poucas eram realmente talentosas). Nesse oitavo ano, há um time fortíssimo de meninas e por serem extremamente comprometidas e de personalidade forte, transitam livremente entre a malícia e a fofura sem medo das linhas extremas que separam uma coisa da outra. Sendo princesas e bruxas na mesma medida, impedem a rotulação habitual do espectador e proporcionam um jogo de impressões muito mais interessante.

Então, precisamos falar sobre Kim Chi.


A coreana-fofurinha da temporada parece ser a única que deixou a capacidade de shade em casa. Extremamente talentosa, Kim Chi tem a criatividade e inteligência artística de uma deusa, uma verdadeira rainha. Mas, carece de outras qualidades essenciais para uma vencedora: a força no olhar, o domínio de passarela e o humor mais provocativo que são inerentes à condição de Drag Superstar. Isso não a torna completa, não a torna elegível e por isso ela foge ao contexto da temporada.


Foi muito fácil perceber isso numa semana em que o desafio era ser “venenosa”. Shady Politcs foi outro delicioso episódio, justamente porque caminhou em direções que realmente não esperávamos. Não pelo desafio em si ou pelo desfile, mas pela forma como a edição trava o crescimento de narrativas maniqueístas. Ver a forma como Bob e Derrick se entenderam através do talento, foi, sem dúvida, um grande momento desse ano. Essa é a temporada das viradas de impressões, semana após semana, para o nosso deleite.

Vamos lá… Geralmente não há muito o que comentar sobre o mini-desafio do dia, mas diante de uma brincadeira em que o lance era adivinhar se o modelo era top ou bottom (palavras usadas pelos americanos para designar “ativos” e “passivos”), não posso ignorar o nível de provocação. Com perguntas que especulavam a preferência do bofe, RuPaul deu um jeitinho de criticar o jogo de aparências e preconceitos que dominam a própria comunidade gay. Foi um belo começo… (embora o prêmio fosse um vale para comprar colchão, hahahaah).

Em tempos de corrida presidencial, o desafio principal veio para se correlacionar com isso. Sabendo de como estão as relações entre as meninas, Ru dividiu-as em duplas que teriam que se virar juntas, colocando as rivalidades em perspectiva de modo a vencer ou perder por elas. Daí, o episódio se dividiu entre as dinâmicas das duas duplas mais marcantes nesse sentido. Ambas formadas por polos opostos, mas que trabalharam de modos completamente distintos.

Thorgy e Chi Chi

Passamos muito tempo falando de como a pretensão e arrogância de Bob eram nocivas para ele, mas que surpresa constatar que o maior problema nesse sentido era de Thorgy. Sua ansiedade em esmagar Chi Chi era tão deselegante quanto precipitada e a cada minuto da edição, sua amargura transbordava em uma cascata que já antecipava enganos. Como eu disse num texto anterior, essas meninas sabem o que a edição pode fazer com elas e devem estar prontas para o baque. Thorgy acreditou demais que era melhor que Chi Chi e excesso de confiança destrói qualquer bom senso.

Bob e Derrick

As expectativas para que esses dois entrassem em colapso eram imensas, mas o choque foi geral quando ambos decidiram privilegiar o talento. Derrick deu espaço para Bob criar porque sabia de seu potencial. Bob confiou nas habilidades de Derrick porque num desafio em dupla é isso que gera resultados. Seria loucura querer fazer o outro ser ofuscado, porque era evidente que o trabalho só fluiria bem se funcionasse em equipe. Assim, o resultado foi equilibradíssimo e foi muito bacana ver Bob reconhecendo a qualidade do trabalho de seu rival. É tudo uma questão de crescimento e Derrick está no caminho de seu amadurecimento como artista.


Bob mostrou outra de suas facetas: a política. Isso acabou fazendo todo sentido, já que apenas personalidades incisivas como a dele podem suportar as inflamações desse meio. É bem possível que nesse episódio, Bob tenha conseguido reverter muito do processo de antipatia que vinha sendo construído nas últimas semanas. Sua inteligência em fazê-lo precisa ser reconhecida, porque é a inteligência que separa seu comportamento com Derrick do comportamento de Thorgy com Chi Chi. Nunca se deve subestimar o oponente, nunca.


O desfile da semana foi um deslumbre. Todos devem se lembrar de como Detox deixou todo mundo sem ar no reunion da quinta temporada com um look que imitava divas dos filmes em preto e branco, só que em preto e branco mesmo. A homenagem não foi reproduzida no seu conceito, mas Bob, Kim Chi e Naomi apareceram com looks muito bons e fizeram a passarela valer a pena (Naomi homenageou Raven, inclusive). Já na apresentação dos vídeos ficou muitíssimo claro que Thorgy e Chi Chi não teriam como fugir de um bottom. Daí, veio a grande explosão emocional do dia…

Eu AMO os lipsyncs do programa, mas poucos me deixaram com lágrimas nos olhos. Então, o que deveria ter sido feito no dia do I Will Survive, foi feito com And I’m Telling You I’m Not Going.

Bob, lá no Untucked, falou sobre quais eram as referências e analogias da canção (pensando em ajudar Derrick, aliás). Chi Chi guardou tudo e usou BRILHANTEMENTE, numa interpretação digna de um prêmio e de arrasar com qualquer coração. Thorgy tentou, deu pirueta, entrou na frente, tentou interagir e acabou só piorando as coisas. De fato, chegou a ser triste vê-la segurando a mão de Chi Chi no final para tentar de alguma forma redirecionar as atenções (isso depois de passar o episódio inteiro dizendo que ia “ofuscar” a concorrente).

Chi Chi estava inteira naquela performance e eliminou Thorgy com aquilo que se deve usar para superar outra pessoa: talento.




NOTA DO UNTUCKED: O Untucked serviu para basicamente revelar o pior de Thorgy. Seria engraçado dizer que ele “deu uma de Bob”, jogando shade e perguntando se os outros concordam. Preso na própria cabeça, perdeu humor, paciência e tolerância. A história que contou sobre as palavras da avó deve persegui-lo (“você é bom em tudo, mas nunca será o melhor em nada), mas ele tem lidado com suas inseguranças de um jeito bastante questionável. Derrick defendeu-o de uma forma sensata, apontou sua versatilidade e ganhou mais pontos comigo. O problema de Thorgy está, no entanto, na comparação. Ele só se valida sendo melhor que alguém, nunca apenas sendo melhor. Bob desvendou-a assim e acertou em cheio. Bob, aliás, é quem sempre fala mais; e independente do que ela diga, é sempre irresistível vê-la falar.


Por fim, restam apenas 5 meninas… Já dá para começar a arriscar alguns palpites e eu estou apostando em Bob, Kim e Derrick para o Top 3. Porém, de cara já dá pra dizer que Bob é a mais completa. Vitória para ela e Miss Congeniality para a bolsa, porque, enfim… #PurseFirst.

Untucking: Chi Chi deu exagerada boa na maquiagem do preto e branco. Parecia um fantasma.
Untucking 2: Que jurado GATO era aquele, senhor?
Untucking 3: Naomi fez um vídeo bacana e Kim Chi acertou na questão política dos preconceitos velados na comunidade gay. Não foi vergonhoso para ninguém, como bem disse Michelle.
Untucking 4: Derrick arrasou na transformação do look, uma pena que foi do ruim pro pior ainda.
Untucking 5: Thorgy (que depôs contra o mito Carrie Bradshaw) deixou presentinho para Chi Chi também. Será que esse a edição vai mostrar?


gostoudotexto



| Review, Rupaul's Drag Race

  • Fiquei chocado com o jurado também. Hahahaha. #Quero

    Thorgy perdeu completamente a linha nesse episódio. Uma pena, porque eu até gostava de muita coisa que ela fazia.

    Minha aposta pro top3 eh quase igual, só com Naomi no lugar da Derrick.

  • Bem, a “perseguição” a Bob e proteção exagerada a Derrick fez perder outros fatos dessa temporada. Thorgy há semanas vinha se mostrando amargurada e invejosa, principalmente com Bob vencendo os desafios que Thorgy se julgava melhor. Bob mesmo “arrogante” nos Untucked sempre procurava dar dicas as meninas que achavam que iriam dublar. Coisa que você já apontou aqui quando Laila recebeu dicas para dublar I Will Survive, mas engoliu.

    Eu acho que Bob é segura de si e a perseguição que sofre é racismo mesmo. O mesmo rolou na S7, com Kennedy também segura de si sendo considerada recalcada e invejosa, enquanto Violet que era ainda mais segura de si era a boa, foderosa. O fandom de Drag Race tem se tornado cada vez mais tóxico, e usa do “minha opinião” para mascarar inúmeras formas de preconceito.

    Enfim, a season está ótima e torço para que o top3 tenha Bob, Naomi e ChiChi. Com Kim Chi sendo o top4.

    • henriquehaddefinir

      Saulo, Kennedy era recalcada e invejosa. Qual o problema de admitir isso, senhor? Bob também dá nos nervos às vezes. E tem TROCENTAS participantes brancas chatas e invejosas também. Às vezes é racismo, mas às vezes elas só são escrotas mesmo.

      • O problema não é admitir isso. Muito do que se criticou na postura de Kennedy e agora na de Bob são posturas exaltadas em queens brancas. A falsa simetria e conveniência do fandom que faz, nós negros, denunciarmos racismo. Branco pode e preto não. As vezes elas são escrotas, às vezes branco não admite postura preconceituosa, pq existe racismo, mas não existe racista, pelo que tenho visto.

      • O problema não é admitir isso. Muito do que se criticou na postura de Kennedy e agora na de Bob são posturas exaltadas em queens brancas. A falsa simetria e conveniência do fandom que faz, nós negros, denunciarmos racismo. Branco pode e preto não. As vezes elas são escrotas, às vezes branco não admite postura preconceituosa, pq existe racismo, mas não existe racista, pelo que tenho visto.

        • henriquehaddefinir

          Saulo, Raven, Tatiana, Ginger, Phi Phi… Eram todas brancas que jogavam um shade pesadíssimo e tinham haters por toda parte. Não há falsa simetria, porque o problema de Bob é um shade e uma pretensão que agrada e desagrada pessoas, Bianca tem haters até hoje e Bob não tem só haters mesmo que exagere. O racismo é uma coisa séria, mas devo lembrar que recentemente a série American Crime Story mostrou um EUA de afrodescendentes inocentando um assassino porque ele era negro (e os brancos sempre perseguem, sem exceção). Há de se ter discernimento… Absolver Bob de uma insuportável capacidade de ser pretensiosa apenas porque ela é negra não é nem justo com ela. Kennedy e Bob são maravilhosas em vários quesitos, mas são odiosas em outros. Latrice era gorda, negra, ex-presidiária e igualmente provocativa e sempre teve mais lovers que haters. É um exemplo cabal (assim como Bebe).
          “Branco pode e preto não” é um fato, mas não na Drag Race. Entre fãs que podem sim ser racistas, há muitos que condenam o shade e a pretensão venha ele de onde vier.

          • Você certamente não participou dos debates sobre o racismo no fandom de drag race que levantei em meu grupo e página. Lá expliquei bem meus pontos de vista e não vou me estender aqui mais. E na boa, usar Latrice como token para defender seu ponto de vista, para mim é o lugar comum que tenho vivenciado com frequência entre os fãs de drag race, que tentam me silenciar. Só faltou argumentar que não há racismo no show pq Ru é negra. O que vc chama de falsa simetria, eu chamo de vivência. E nenhuma vez inocentei as queens negras de serem chatas e terem comportamentos condenáveis, mas né, pelo visto os meus argumentos de nada valeram e o incômodo ficou pq disse que há racismo no show. E as pessoas não aceitam essa alcunha, pq acham q é um ataque pessoal, algo q é um problema social.

          • henriquehaddefinir

            Saulo, estou há muito tempo acompanhando todo o debate sobre isso e colocar sua vivência como perspectiva única também não ajuda a tornar seus argumentos mais determinantes. Além disso, eu sou negro também, sou gay e conheço de vivências tanto quanto você.
            Vou ser ainda mais claro. O que eu vi foram algumas pessoas desgostando de Bob por causa do shade, da pretensão e isso foi entendido por alguns como “estão fazendo isso porque ela é negra já que nunca fizeram com Bianca”. Essa afirmação já começa errada porque Bianca é Bianca é Bob é Bob. Elas tem shades e posturas completamente diferentes. Conheço uma pá de gente que adora Bob e detesta Bianca. E, se há um padrão, tem que se aplicar a todas. Não é caso.
            Volto a dizer que racismo no fandom da Drag Race não é nenhum privilégio da Drag Race. Havia homofobia no fandom de Glee, só pra ser uma ideia. Meu ponto é que precisa haver discernimento na hora da defesa. Há casos e casos e o que vejo você fazer (e muitos outros) é dizer que “a rejeição à Bob foi racismo mesmo”.
            Não, é muito mais complexo que isso. A rejeição a Bob é mais que “ela é negra”. Assim como achar que o fandom não é racista é muito mais que “não é porque Ru é negra”. Até porque, até mesmo Ru tenta reproduzir um modelo de beleza que não é o seu.
            E há incômodo sim, porque ninguém gosta de se sentir injustiçado. Sair dizendo “não gosta dela porque é racista”´ é muito fácil e eficiente, já que qualquer argumentação contrária vai te fazer parecer mais racista ainda. Mas, eu digo e reitero: algumas pessoas são racistas, outras só detestam excesso de autoconfiança. Não há de se ter reducionismo nem para um lado e nem para o outro.

          • Pra mim é racismo a partir do momento que você mesmo cita o tal padrão a ser aplicado a todas e você não o aplica. Como exemplo há o pedestal que você colocou Derrick, considerando seus atos como insegurança e pressão das outras queens. Enquanto a própria Derrick também não é santa, manda shades pesados e não tem nada de pobrezinha indefesa. Dai que tiro os dois pesos e duas médias, do pq ter usado “branco pode e preto não”. Se não estivesse vendo essa protecionismo a Derrick desde o começo nem teria levantado tal questão de racismo. Da mesma forma que Thorgy sair desmerecendo as demais queens e se achar a melhor ali, não foi abordado da mesma forma que foi abordado “a arrogância” de Bob. É exatamente por não haver padrão nas críticas que fiz a minha. Acharia justíssimo as observações negativas que você tem de Bob se estivesse avaliando as demais queens da mesma forma.

            E por mais que você ache que estou exagerando na denúncia de racismo, enquanto eu achar que há, eu denunciarei. Mesmo você tentando invalidar, achando que só pelo fato de eu nao concordar com você estou usando do “racismo” para proteger Bob. Em nenhum momento falei que suas impressões sobre Bob são equivocadas. Mas afirmei que há racismo na forma de se avaliar queens negras. Das quais sempre se esperam demais. Além de serem fodas, tem que abaixar cabeça, pelo visto. Afinal se Latrice batesse de frente com as queens na S4, certeza que não a usariam como exemplo de que “não sou racista, adoro Latrice”. Porque Latrice é o modelo ideal de negro no show, engraçada, boa e resignada. Como você vai continuar ignorando meus argumentos e me taxando de exagerado, não vou responder daqui em diante. Acho que abordar o tema do racismo em Drag Race é essencial. Mas se pra você e muitos outros isso só pode ser feito em casos extremos, tipo quando Jasmine foi ameaçada de morte, não tenho mais o que fazer aqui.

          • henriquehaddefinir

            Saulo, a partir do momento em que você diz que coloquei Derrick num pedestal, já identifica pra mim um problema de julgamento. Você não deve estar lendo as reviews ou não está disposto a considerá-las. Critiquei Derrick e Thorgy na mesma medida e enalteci Bob em todos os momentos que achei justo.

            Um trecho sobre Thorgy: ” Ele só se valida sendo melhor que alguém, nunca apenas sendo melhor. Bob desvendou-a assim e acertou em cheio. Bob, aliás, é quem sempre fala mais; e independente do que ela diga, é sempre irresistível vê-la falar.”

            Além disso, ainda que eu tivesse mil motivos para adorar Derrick, tentar entender o shade dele e não fazer o mesmo com o shade de Bob pode significar um MONTE de coisas, entra elas o simples fato de que review não é imparcial e eu posso defender quem eu quiser assim, só por querer. Não é o caso, porque eu me levo pela emoção e quando Bob me emociona eu digo, quando Derrick me emociona, também. Eu sei que quem me segue sabe disso.

            Mas, me vejo de novo diante do mesmo tipo de fã que me xinga quando falo mal de The Walking Dead e diz que “eu só reclamo”. Geralmente esse tipo de fã esquece todos os textos positivos anteriores. E cá estou eu, vendo o mesmo tipo de comportamento. Ok, don’t bother, eu já estou acostumado.

            Existem muitos casos, muitas medidas, mas não sou eu que estou indisposto a ver isso aqui. Jasmine não foi a única ameaçada, escorraçada, vale dizer. O ódio entre os fãs é plurirracial.
            Esperar até que o público se manifeste diante de um quadro completo seria bom, já que Bob se redimiu de tudo e Derrick saiu do programa enaltecido por ele. Se lá dentro, quem vive o show, é capaz de ver milhões de camadas em todos eles, porque aqui fora não? Eu respondo: porque o fã tem os olhos turvos de paixão. E você quer saber o que você ainda está fazendo aqui? Levando um debate para o lado pessoal, se indispondo desnecessariamente, simplesmente porque discordam de você. O mundo gira, mas a engrenagem é sempre a mesma.

            Um beijo pra ti. Foi uma conversa realmente engrandecedora. Eu sem dúvida pensarei muito a respeito.
            Agora vamos esperar pra ver Bob vencer merecidamente, o que eu disse nesse texto, veementemente, e reitero agora.

          • Em nenhum momento levei essa discussão pro lado pessoal. Sim, sua review vc escreve o que vc quiser. Mas se vc abre espaçø para discussão deveria estar disposto a tentar entender o que discordo de vc e não tentar sempre desqualificar o que argumento. E se questionei o seu posicionamento dando exemplos, foi pq vc mesmo argumentou sobre padrão de crítica q não vi da sua parte. Se vc mesmo não o faz, pq exige de mim?

          • henriquehaddefinir

            Não estou exigindo nada de você, meu lindo. Eu não estou desqualificando seus argumentos, estou só rebatendo eles. Eles ainda continuarão sendo legítimos para você e tenho certeza que muita gente concorda contigo.
            O padrão a que me referi no meu comentário foi o padrão de julgamento racial, não de crítica. Mas, eu já sublinhei que meus textos não defendem e nem atacam ninguém unicamente. Pelo contrário, eu disse mais de uma vez que essa é a temporada das mudanças de empatia e por isso ela é maravilhosa. Meus textos celebram a relativização dos comportamentos… Minha vibe é essa.

            Kisses.

          • Mas, me vejo de novo diante do mesmo tipo de fã que me xinga quando falo mal de The Walking Dead e diz que “eu só reclamo”.

            A propósito, em nenhum momento te xinguei ou faltei com o respeito com você, mas se discordar de um ponto de seus textos, que eu sempre elogiei e recomendei, me eleva a categoria de fã xiita, não se preocupe, não os comentarei mais. Beijos!

          • henriquehaddefinir

            Saulo, eu estou falando dos fãs de The Walking Dead, meu querido. Eles me xingam. É um exemplo proporcional. Ai ai… Bora colocar as coisas nas perspectivas certas.

            Eu não tenho nenhum interesse que deixe de comentar, será uma falta sentida.

          • Você sabe que tenho página e grupo, e sempre estou do lado questionado, é bom mudar a perspectiva e estar do lado questionador.

            Só acho que a discussão enveredou pra um lado que não deveria. Você acha que é exagero falar de racismo no fandom, esse é seu ponto. Eu argumentei que do meu ponto de vista, que sim é apoiado por várias outras pessoas, há racismo sim e daí, que mesmo que você não veja da mesma forma que a gente, eu continuarei defendendo essa perspectiva. E era isso… Se passei dos limites, me desculpa, não foi minha intenção. Até a próxima review.

          • henriquehaddefinir

            Saulo, a partir do momento em que você diz que coloquei Derrick num pedestal, já identifica pra mim um problema de julgamento. Você não deve estar lendo as reviews ou não está disposto a considerá-las. Critiquei Derrick e Thorgy na mesma medida e enalteci Bob em todos os momentos que achei justo.

            Um trecho sobre Thorgy: ” Ele só se valida sendo melhor que alguém, nunca apenas sendo melhor. Bob desvendou-a assim e acertou em cheio. Bob, aliás, é quem sempre fala mais; e independente do que ela diga, é sempre irresistível vê-la falar.”

            Além disso, ainda que eu tivesse mil motivos para adorar Derrick, tentar entender o shade dele e não fazer o mesmo com o shade de Bob pode significar um MONTE de coisas, entra elas o simples fato de que review não é imparcial e eu posso defender quem eu quiser assim, só por querer. Não é o caso, porque eu me levo pela emoção e quando Bob me emociona eu digo, quando Derrick me emociona, também. Eu sei que quem me segue sabe disso.

            Mas, me vejo de novo diante do mesmo tipo de fã que me xinga quando falo mal de The Walking Dead e diz que “eu só reclamo”. Geralmente esse tipo de fã esquece todos os textos positivos anteriores. E cá estou eu, vendo o mesmo tipo de comportamento. Ok, don’t bother, eu já estou acostumado.

            Existem muitos casos, muitas medidas, mas não sou eu que estou indisposto a ver isso aqui. Jasmine não foi a única ameaçada, escorraçada, vale dizer. O ódio entre os fãs é plurirracial.
            Esperar até que o público se manifeste diante de um quadro completo seria bom, já que Bob se redimiu de tudo e Derrick saiu do programa enaltecido por ele. Se lá dentro, quem vive o show, é capaz de ver milhões de camadas em todos eles, porque aqui fora não? Eu respondo: porque o fã tem os olhos turvos de paixão. E você quer saber o que você ainda está fazendo aqui? Levando um debate para o lado pessoal, se indispondo desnecessariamente, simplesmente porque discordam de você. O mundo gira, mas a engrenagem é sempre a mesma.

            Um beijo pra ti. Foi uma conversa realmente engrandecedora. Eu sem dúvida pensarei muito a respeito.
            Agora vamos esperar pra ver Bob vencer merecidamente, o que eu disse nesse texto, veementemente, e reitero agora.

  • Sobre o jurado o que Ru falou foi um Shade pra ele, já que ele tinha anúncio no Craigslist bem normativo. Era Masc X Masc. Então a propaganda de Kim Chi foi um tiro certeiro nele e nos tipos dele.

  • Sobre o jurado o que Ru falou foi um Shade pra ele, já que ele tinha anúncio no Craigslist bem normativo. Era Masc X Masc. Então a propaganda de Kim Chi foi um tiro certeiro nele e nos tipos dele.