logo

Universo Arrow #36: O fim definitivo de Olicity?

A continuação do drama estrelado

Universo_Arrow_36

Na edição anterior, falei sobre o possível codinome de Felicity e as teorias em torno de seu pai. Nem Proxy ou Oráculo, nossa loirinha se tornou Overwatch, um codinome bobo diante do trabalho e papel que Miss Smoak exerce em terras estreladas. E como o mais importante dessa história era deixar claro que Smoak não se tornaria Oráculo, não fiquei muito surpreso/satisfeito com a escolha de nome. Esperava mais, Arrow, esperava mais!

Continuando o drama estrelado, passamos por poucas e boas desde a última newsletter: os episódios ‘A.W.O.L.’, ‘Unchained’, ‘Sins Of The Father’, ‘Code Of Silence’, ‘Taken’ e ‘Broken Heart’ foram ao ar. Depois deste hiato maroto, volto para analisar as pontas soltas, as resoluções que tivemos até aqui e as teorias.

Eu diria que estes cinco episódios foram mais do que interessantes por terem colocado Arrow numa velocidade frenética, principalmente em relação a tramas desnecessárias. Vimos personagens morrendo e tramas chegando ao fim: Amanda Waller está morta, Lyla está no comando da A.R.G.U.S. e a Liga dos Assassinos não existe mais. Curiosamente, personagens relacionados ao Batman e ao Esquadrão Suicida estão saindo pouco a pouco da série e Marc Guggenheim ainda diz que a saída de Waller não foi uma demanda da DC. Aham, Cláudia, sentá lá na flecha do Oliver! Não sei exatamente qual a estratégia da DC com esses personagens, mas é provável que vá utilizá-los em outras produções. Não podemos esquecer que Amanda está no filme do Esquadrão Suicida. Quanto à saída dos personagens, falarei com mais detalhes e especulações em outra newsletter. Por agora, o importante é que Arrow está resolvendo um monte de tramas com velocidade e objetividade. Será que isso é bom?

Uma destas tramas é Olicity, que virou a cereja do bolo estrelado durante esta temporada e estava enchendo a paciência de alguns fãs (a.k.a. os Laurivers). Honestamente, não achei que o casal atrapalhou nenhuma dinâmica da série, mas criou momentos interessantes e fofos, alguns inclusive graciosos se pensarmos no clima sombrio que toma conta de Arrow. É necessário que tenhamos um respiro, aquele momentinho para curtir um romance, uma trama com mel e umas sacanagens. Poderia ter mais bundinha do Ollie? Poderia! Enfim… é um romance que acrescenta.

Voltando ao término do casal, já era meio óbvio que algo do tipo iria acontecer (lembram da ausência do anel de noivado nos dedos de Felicity durante o flashback?). Outro indício foi o aviso de Barry Allen a Oliver durante o crossover: embora ele tenha voltado no tempo e evitado que o casal terminasse por causa de William, alguns acontecimentos da linha temporal não podem ser alterados. Portanto, assim como no crossover, Felicity descobre que Oliver tem um filho e termina o relacionamento não pela mentira, mas por Queen continuar na mágoa de cabocla eterna de manter segredos da pessoa amada. Os motivos do jovem eram justos e ele queria continuar vendo o filho? Sim. A culpa era parcial de Samantha? Sim. Mas o roteiro queria exatamente explorar o plot Miss Smoak Traída, Jogada, Ahazada e Última a saber… Justo ela que perdeu tanto por estar neste relacionamento, né migues? Justo ela que tem o poder de decidir nas mãos.

No fim, nem o papo meloso de Cupid em ‘Broken Hearts’ foi suficiente para reatar o casal e impedir que Felicity fosse simbora. Aliás, que episódio sem graça para continuar a montanha russa que foi ‘Taken’, né?

E apesar das desgraças todas que acontecem em Arrow, Marc Guggenheim declarou que nossos heróis tem reagido de forma muito mais positiva do que em temporadas anteriores. Ele tem razão e este é um ponto positivo, dando um tom mais leve para a série.

O melhor deste término foi, sem dúvidas, Miss Smoak indo embora (literalmente) de pernas erguidas. Uma cena impactante, altamente emocional e cheia de drama mexicano. Aquele clichezão para fazer cada Olicity chorar sangue. Era óbvio que a loirinha não ficaria muito tempo na cadeira de rodas, como disse na newsletter passada, apesar das entrevistas dos roteiristas dizendo que teríamos as rodinhas de forma permanente. Embora a trama tenha servido para introduzir o futuro de Curtis e sua tecnologia, é frustrante encontrar estas histórias completamente previsíveis. Surpresa mesmo seria se Felicity ficasse na cadeira de rodas, roteiristas!

lord_mesa_arrow_already_gone

Pelas dicas que tivemos, Curtis será o Mr. Terrific dos quadrinhos, um personagem extremamente inteligente e habilidoso com tecnologias. Aquela esfera com um T que já vimos no laboratório da migue é a Esfera-T, principal artefato tecnológico criado pelo personagem. Isto, somado à imagem de Felicity, divulgada recentemente, segurando uma das esferas e a descoberta, em Legends Of Tomorrow, de que a Smoak Technologies existe numa possível timeline, aumentam as chances de termos algo mais concreto em relação a Curtis até o fim da temporada. Entretanto, o que quero mesmo é ver mais da trama gay do personagem, ver mais seu marido e mais gays. Tá faltando purpurina em Star City!

O tema paternidade voltou a marcar presença em Arrow com um episódio dedicado a ele, não nos deixando esquecer que a tal paternidade sempre esteve e estará presente na série. O legal agora é que Oliver é o pai da vez, embora sua decisão tenha sido fugir das responsabilidades.

arrow_sins_of_the_father_lord_mesa

Pausa para a revolta. Roteiristas de Arrow, até quando veremos Oliver fugindo das coisas para proteger a galere? Vixen, gata, seria muito bom para William crescer ao lado de sua nova inspiração, viu? Tô revoltado. Fim da pausa para a revolta.

Arrow é, e sempre foi, uma série em que tudo gira em torno da família, migues, inclusive a trama de Damien. Gostaria que a série se inspirasse na saga de Jeff Lemire e mostrasse que Robert Queen ainda está vivo, nem que fosse somente nos flashbacks. Durante a fase em que assumiu a revista do Arqueiro Verde, Lemire trouxe Robert de volta para uma das tramas mais interessantes e complexas dos últimos tempos nos quadrinhos do Rainha e, embora a história de personagens voltando do Hades já esteja manjada, e tenhamos visto o corpo do pai Queen apodrecendo, seria uma belíssima oportunidade para sambar na cara da sociedade. E se você ainda não leu a saga de Jeff Lemire, fica a dica. Leitura obrigatória para fãs do Arqueiro Esmeralda.

Falando um pouco das mulé de Arrow, que coisa linda foi ver Laurel, Samantha e Felicity na mesma sala, nénom? As gataxxx da vida de Oliver cara a cara na maior saia justa! Gostei da posição arrependida de Samantha, assumindo que pegou na flecha do Ollie novinho quando também era novinha e inconsequente. Vamos ser honestos? Não dá para culpá-la, afinal a carne é fraca. E o puto desta história é Oliver, afinal. Safado cara de pau (vem aqui pra casa, vem!).

Outra trama relacionada à paternidade foi o retorno de Nyssa para reclamar sua herança: a Liga dos Assassinos. Gostei de ver a trama se fechando, afinal a Liga estava meio de lado e sem muito propósito com Malcolm em sua liderança. A medida da narrativa, entretanto, soa mais como um corte da DC do que um corte planejado pelos roteiristas. Será que vão usar a Liga em algum filme ou outra produção? Seria legal se usassem em um próximo filme do Batman.

O fim da Liga nos leva a Malcolm Merlyn, o algoz definitivo de Arrow (agora sem uma de suas mãos). Deixá-lo debilitado é uma reviravolta bem interessante, principalmente porque o deixa vulnerável para fazer merda. Descobrimos que Merlyn está trabalhando com Damien sendo um dos membros do board da H.I.V.E. Entretanto, não ficou claro se eles estão trabalhando juntos há pouco tempo ou são parceiros de longa data. Acho bem capaz que eles estejam trabalhando juntos desde a segunda temporada. Sabe por quê?

Em ‘Code Of Silence’ descobrimos que Milo Armitage também está na H.I.V.E. Se vocês lembram, foi ele quem tentou comprar o Markov Device do Bronze Tiger lá em ‘Tremors’ (2×12), o tal do dispositivo de Merlyn que causou o terremoto da primeira temporada. Na ocasião da compra, Armitage não informa para quem está trabalhando. No momento tudo está mais claro: ele trabalhava para Damien. Armitage também é citado em ‘Corto Maltese’ (3×03). Ou seja, migos, Darhk estava na pixxxta há bastante tempo. É capaz, inclusive, que ele tenha salvado Malcolm quando ele estava “morto” ao fim da primeira temporada.

O Arqueiro Negro está tão em alta que os atuais (e habituais) quadrinhos de Arrow são sobre ele, escritos por John Barrowman e, embora a trama se passe entre a quarta e a terceira temporada, a promessa é de que a história revele segredos do passado do vilão. Vou dar uma lida e volto a falar do assunto se informações relevantes forem divulgadas. Quem quiser ler, basta clicar aqui!

Ainda sobre Malcolm, sabemos que ele sempre foi vendido como o vilão definitivo de Oliver, o Nemesis da história. John Barrowman disse em entrevista ao DC All Access que Merlyn é um herói não compreendido e que visava fazer o bem pela humanidade ao liderar a Liga dos Assassinos. Podemos dizer que ele faz o bem ao seu modo, não é? Entretanto, não podemos esquecer que ele só defende os próprios interesses, afinal nem a própria filha poupou em nome do poder.

Detalhe interessante: o colarzinho/frasquinho verde que vimos Malcolm usando no fim da segunda temporada será explicado em breve e é um elemento importante. Se você não lembra, é este aqui e aqui.

Por fim, o que esperar de Malcolm Merlyn? As chances dele atuar como um vilão forte ainda nesta temporada são pequenas, mas ele pode fazer merda como, por exemplo, matar um dos integrantes do Team Arrow. Será que vai rolar? Gosto do personagem na trama por ser uma bomba constante que a qualquer momento pode estourar um babado. E quem não adora babado em Arrow?

Thea Queen Merlyn, a mais injustiçada neste jogo de poder, sempre adorou um baphon, apesar de estar longe de escândalo há algum tempo. Embora tenha sido tratada como vítima desde a temporada passada, vemos agora uma mudança de comportamento, um renascimento. A Cházinha mais querida da Terra Estrelada voltou a assumir o papel de conselheira e mulher poderosa, linda, rica e segura de si (além de ligada nas fofoca tudo da cidade). A parceria com Laurel e a trama como Speedy enriqueceram a personagem, fazendo dela muito mais do que uma fênix renascida do Poço de Lázaro. Aliás, que felicidade que esta trama se encerrou. Não aguentava mais aquela sede de sangue que não levava a nada. Quando a trama foi encerrada, surgiram duas possibilidades na minha cabeça: 1. Thea será descartada em breve, pois ficou meio solta e sem trama própria (assim como John Diggle). 2. Resolveram logo a trama para encerrar qualquer coisa relacionada com a Liga dos Assassinos. Acredito mais na segunda possibilidade, mas não dá para esquecer que Thea também está na berlinda.

Sobre o lado inteligente de Thea, a moça já sacou que seu pai é um FDP e está se aliando a Damien. Portanto, o que mais veremos da Cházinha daqui pra frente? Momento de apelo aos roteiristas: pelo amor de Deus/Alá/Iemanjá/Universo não matem Thea! Desde a primeira vez que nos vimos, olhei para ela e disse “HI”, ela disse “RÉLHOU”. Então eu falei para ela: “eu amo muito você, você é dona do meu coração, você é a dona da minha vida”. Ela falou: “Thank you so much”. Matem Felicity mas não matem Thea. Não, pera… Matem Laurel!

Falando em matar Laurel, rolam boatos de que a tal da pessoa no túmulo é a nossa Canário Negro. Há poucos dias divulgaram fotos de cenas gravadas em um cemitério, cenas que devem acontecer durante o episódio 19 cujo título é SECRETO até então. Neste dia foram gravadas duas cenas: a do enterro do flashforward e um flashback no qual Quentin aparece com cabelo. É bem provável que seja o enterro de Sara Lance, há quatro anos, pois Marc Guggenheim disse em seu Tumblr que flashbacks relacionados a Laurel estavam sendo discutidos na sala dos roteiristas. Os boatos da morte da Canário foram alimentados pelas presenças de Nyssa e da Mamãe Lance nas gravações. Se Nyssa esteve presente, provavelmente aparecerá na cena do enterro atual. Afinal, com quem mais ela possui uma conexão emocional forte nesta cidade? Somente Laurel. É o que faz mais sentido e o que alimentou a revolta de alguns fãs. Acompanhei discussões em grupos do Facebook em que as pessoas ficaram tão alteradas com a ideia que disseram que vão largar Arrow. Calma, migues, calma!

Honestamente, não quero acreditar que Laurel morrerá, embora ela, assim como todos os outros personagens coadjuvantes, também esteja na berlinda. Pensem comigo… Qual o sentido dessa morte justamente quando a personagem está ganhando complexidade e tempo no roteiro? Qual o sentido da morte “vazar” se em outras ocasiões isso foi mantido à sete chaves (saudades Moira Queen)? Se tal morte acontecer, meus caros, ficarei muito triste e revoltado, algo que os escritores da série talvez queiram causar na audiência. A morte de Moira e Tommy não foram simples de engolir, lembram? Matar a Canário, portanto, é um movimento audacioso e arriscado, visto que ela já faz parte do canon. É também uma reviravolta polêmica: para o bem e para o mal.

Passou pela cabeça que eles podem matar Laurel para tirar a Canário Negro da TV, pois é possível que a DC queira fazer um filme das Aves De Rapina. Entretanto, migues, o que não faz sentido é a DC querer destruir seu universo televisivo para construir o cinematográfico. Não vamos esquecer que este renascimento dos heróis na TV foi causado por Arrow e seu elenco. Deixem Laurel em paz!

Ainda sobre a tal morte, existem também teorias de que será a mãe de William, Samantha. De acordo com esta foto, o sobrenome no túmulo é Clayton. Mas é aquilo, migues… pode ser uma pegadinha. Não vamos esquecer que os roteiristas já disseram que quem morre é um personagem REGULAR e Samantha Fulana não é um deles e nem causaria tamanha revolta em Felicity, muito menos justificaria tanta expectativa em torno desta morte. Aposto que a pessoa que morre é muito próxima da Loirinha, algo que não diminui a nossa lista de candidatos porque todos da série são próximos dela.

Já que citei flashbacks, devo falar um pouco sobre Oliver na ilha. Sabemos que falta apenas um ano e meio para que Ollie Querido se transforme no assassino frio e calculista que vimos lá na primeira temporada. Entretanto, até agora vimos poucos momentos deste Queen Monstro. Apesar disso, a trama, aparentemente desnecessária, está avançando a passos lentos: Oliver assassino apareceu timidamente em ‘Code Of Silence’. Acredito que esta trama mística dos flashbacks em breve irá se conectar com o presente de forma complementar, principalmente agora que temos os tais dos “totens” na trama. Já estou na torcida para que seja parecido com o arco de Jeff Lemire nos quadrinhos do Arqueiro Verde (o mesmo que citei alguns parágrafos acima). Nesta trama existem totens que dão poderes aos líderes dos clãs dos Renegados, um clube de poderosos. Um deles é o totem da Flecha, cujo dono é Oliver Queen. Seria bapho!

Por falar em totens, vimos Vixen chegar na cidade estrelada para finalmente dar alguma vantagem ao Team Arrow em relação a Damien Darhk. Será que o vilão foi derrotado? Ou será que agora veremos surgir um outro vilão enquanto ele está na cadeia aguardando o julgamento? Boatos apontam que o próximo vilão pode ser o Star City Slayer, antagonista do arco ‘O Espírito da Flecha’ que inspira inúmeros elementos desta temporada. Se quiser saber um pouquinho mais é só ler este texto aqui. Ele é um vilão envolvido com poderes místicos e que lidera uma seita. Curiosamente, a atriz Madison McLaughlin foi escalada recentemente para Arrow e sua personagem, ainda misteriosa, se chama Rebecca e é descrita como alguém que escapou de uma seita perigosa. Outro detalhe: a personagem aparecerá no episódio 19 e estará presente no fatídico enterro dos flashbacks. Ai, migues, muitas possibilidades…

arrow_vixen_lord_mesa_

Chegou a hora de falar das dicas de Marc Guggenheim em seu Tumblr. Semanas atrás o produtor de Arrow respondeu inúmeras perguntas dos fãs por lá. Abaixo listei apenas as mais importantes, mas se você quiser ler todas (em inglês) é só clicar aqui. Simbora:

  • Veremos muito mais de Curtis. Sim, já sabemos que ele será cada vez mais importante no quesito tecnologia e uma possível adição ao Time Arrow, principalmente agora que Felicity partiu.
  • Slade Wilson não volta mesmo. O personagem está associado a outro projeto da DC. #XATIADISSIMOS
  • O nome do episódio 18 é Eleven-Fifty-Nine. O que será que acontece à meia-noite? Em outra pergunta do Tumblr, um fã pediu que Marc associasse músicas de Billy Joel com os episódios. A música ‘Famous Last Words’ foi associada ao 4×18, o que pode indicar que a morte acontecerá nele. Ou ao final dele, como cliffhanger. Tem também ‘She’s Always a Woman’, relacionada ao episódio ‘Beacon Of Hope’.
  • Quinta temporada garantida. Guggenheim disse que já haviam começado a pensar nas ideias para a nova temporada antes mesmo da renovação oficial da CW.
  • A DC concedeu Constantine por somente um episódio (algo que pode mudar ao longo do tempo). Helena Bertinelli já era para ter voltado, mas, por causa de conflitos de agenda da atriz, não voltou. Zatanna pode aparecer!
  • Felicity não terá uniforme. AMÉM.

Para finalizar, em Legends Of Tomorrow rolou uma viagem à Star City de 2046. Lá vemos Connor Hawke, o filho de John Diggle, e oficialmente o segundo Arqueiro Verde. Vemos também Oliver Queen, sem um dos braços, arrancado pelo filho de Slade, Grant Wilson, o segundo Deathstroke do universo Arrow. Vemos também a Smoak Technologies e sabemos que todo o Time Arrow morre. Foi um bom vislumbre de um possível futuro, mas não deve passar disso, afinal seria um futuro sombrio demais e utilizado apenas como recurso narrativo para Legends.

arrow_legends_of_tomorrow_lord_mesa_star_city_2046

E bom, gente bonita, por hoje é só. Muita coisa para colocar em dia, não é mesmo? Perdão novamente pela demora (vida loka rolando e acontecendo). Volto em breve para comentar os baphos que estão por vir nesta metade final da quarta temporada de Arrow e coisinhas de Flash e Legends Of Tomorrow também).

Um bayjo e um quayjo!

Extras

P.S. Leiam as reviews semanais do Diego Antunes, pois elas complementam o conteúdo desta newsletter: Arrow, Flash e Legends Of Tomorrow.

P.S.2. Baron Reiter é o líder da Shadowsphire? Ou apenas uma peça no tabuleiro?

P.S.3. A moça que ajuda Nyssa a escapar da cela em Nanda Parbat
se chama Talibah. Seu nome significa ‘estudante’ ou ‘buscadora de conhecimento’ e ela apareceu pela primeira vez nos quadrinhos Arrow 2.5, dentro da trama do Esquadrão Suicida, sendo salva por Sara e Nyssa das mãos de um grupo terrorista. Nesta ocasião Talibah é recrutada para a Liga dos Assassinos.

P.S.4. “Passagem garantida pelos Deuses” diz Damien em ‘Code Of Silence’. Será que ele está se referindo à Mother Box e aos Deuses de Nova Gênese? Será que teremos Darkseid envolvido no Samba Estrelado? Explicarei melhor essas possibilidades depois.

P.S.5. Audiência de Arrow cresceu com ‘Taken’.

P.S.6. Felicity cita uma rua de Star City chamada Wilson. Slade Wilson?

P.S.7. A Titan Books começou a lançar uma série de livros sobre Arrow que servem como uma expansão da história. Já saiu ‘Arrow Vengeance’ com as tramas da segunda temporada narradas por Slade Wilson e outros personagens secundários. Tem também ‘Arrow – Heroes and Villains‘, um tipo de enciclopédia com fichas dos personagens, e ‘Arrow: Oliver Queen’s Dossier‘, que será lançado em breve.

P.S.8. O que é a Fase 5 que o pessoal da H.I.V.E. fala em ‘Code of Silence’?

P.S.9. Cisco vai melhorar o capacete de Diggle.

P.S.10. Sério que Damien ainda não sabe que Oliver é o Arqueiro?

P.S.11. William será inspirado pelo Green Arrow. <3

arrow_father_green_arrow_william

P.S.12. As ilustrações desta newsletter são todas de autoria de Lord Mesa Art.

Se quiser falar comigo, basta responder este email, me seguir no Twitter ou me adicionar lá no Facebook. 😉

Este conteúdo é enviado em primeira mão para assinantes da newsletter Universo Arrow. Para assinar gratuitamente clique abaixo:

assineaqui


gostoudotexto



| Newsletter, Universo Arrow

  • Rodrigo Cardoso

    Ótimo texto. Mas sobre os “Laurivers”… sério que ainda há quem queira Laurel maravilhosa Lance com o Olivier? Laurel merece uma pessoa muito melhor, porque este Oliver apresentado (que pra mim ainda não é o Green Arrow, ainda está se tornando tal personagem) ficar com a Laurel nesse momento só prejudicaria o crescimento da Laurel, porque esse Oliver tão egocêntrico PLMDDS não dá, só a Felicity mesmo que deve aguentar rs. Aliás, me pergunto qual o problema dos roteiristas da CW que não conseguem fazer uma personagem feminina crescer sem precisar que ela tenha uma co-dependecia com um homem. Espero que Laurel cresça muito e longe desse Oliver, mas se planejam matá-la… só me resta lamentar muito e ver que o fundo do poço não está tão longe assim…

    • Primeiramente, obrigado por ler! 🙂 E sim… tem uma galera que defende o canon dos quadrinhos e fica revoltada com Olicity. Honestamente, acho que a série está conseguindo contar uma história própria e única. CW, PRECISAMOS DE PERSONAGENS FEMININAS MAIS FORTES. <3